line decor
...O que era longe ficou perto...O que era intransponível foi superado...E o mundo ficou bem menor.
line decor
 

Esse finde (19/08)fomos pedalar até a fazenda Cainã em São Luís do Purunâ.


Num belíssimo domingo nublado e mais ou menos frio (prá variar), estava eu as 08:30 da madrugada, lá na Praça do Japão, esperando o pessoal.


A primeira que encontrei foi a Luiza, que estava animada, nos apresentamos e ela já me arrastou para um alongamento enquanto os demais não chagavam, acabamos saindo as 9:00.
Dessa vez estávamos eu, Marcelo Montanhista e Adri, o irmão da Adri (Álvaro) e a Luíza , o planejado era irmos pedalando até a Cainã e minha esposa iria de carro mais tarde com as crianças, depois do almoço voltaria o Marcelo e Luíza de bike e a gente de Toyota.
Se por um lado a gente só iria pedalar metade do percurso por outro poderíamos nos refestelar no restaurante da Cainã com sua comidinha tropeira "light" :)
O trajeto é BR-277 por uns 50km e depois mais 9km de estradinha de terra, o meu cateái marcou 65.9km rodados mas ele está marcando mais que o GPS do Marcelo uns 5%, a velocidade média foi de 15.9km/h, demoramos 04:20h no total

Depois de 20Km o Álvaro e a Luíza encontraram alguns conhecidos, tem bastante gente pedalando nessa BR nos fins de semana


São típicas na região as igrejas que tem ao lado, e totalmente separada, a torre do sino, acho que fizeram primeiro a igreja e depois juntaram o dindin prá fazer a torre, sei lá ...

A Luíza na reclinada da Adri, nos primeiros metros com a reclinada ela estava mais séria que cachorro em canoa :)

Uma foto "cívica" , pinheiros, bandeiras, só faltou um soldado e um funcionário dos correios hahaha

Foto da moçada com o Marcelo fazendo chifrinho.

Quase chegando no pedágio, tem umas formações rochosas bacanas.

Esse "meio" viaduto existe pq decidiram na época que seria muito caro proteger a encosta contra os constantes deslizamentos, aí e quase no final da serra.

O fato de ser uma rodovia pedagiada ajuda bastante no geral da estrada, está muito bem conservada e na ida só um pequeno trecho de uns 600m. antes do pedágio é que não tem acostamento, mesmo assim é um local com 3 pistas e no trânsito de final de semana é susse, não sei informar dos trechos sem acostamento na vol

Não lembro ao certo onde tirei essa foto

Marcelão feliz da vida na sua reclinada

Adri na retinha depois da subida da serra.

Já disse que não sei onde é esse lugar.

Opa, tá com sede ? Cansou ? Lá no pedágio tem água, café quentinho, banheiros limpíssimos, sofazinho e o melhor de tudo "é de grátis" hehe . Só é ruim de achar o acesso...

Mais uma foto que não lembro onde era.

Aí é o obelisco da Rodovia do Café (BR-277) a gente pega a direita na estradinha de terra, tem uma placa indicando CAINÃ.

Eu perguntei mas não vendiam só um pedacinho :(

Antigamente não tinha nada mas a região está explorando bem o eco-turismo. A direita alguém demonstrando a dificuldade de superar obstáculos simples com uma reclinada :D

Descidinhas ótimas viram subidas cruéis na volta.

Sem chance de entrar na água, tava frio

O visual da região é show

A ida foi bem sossegada, com um bom número de bikers cruzando em ambos os sentidos da pista, curiosamente, se na 277 sentido Paranaguá, a maioria estava de bike speed na mesma 277 sentido Ponta Grossa, a maioria dos bikers estavam de mountain, deu até prá cruzar com conhecidos da Luíza e Álvaro durante o percurso, meio impressionante isso pois estávamos a mais de 20km de Curitiba !
O Marcelo e a Adri nas reclinadas estavam em seu ambiente natural, incrível a velocidade que essas reclinadas pegam em descidas, dá prá ir no vácuo até.
O visual, na parte do asfalto, até que é interessante, a partir de Campo Largo já começa um visual mais rural e a Serra de São Luís do Purunã tem umas encostas muito bonitas, também tem várias regiões onde o relevo acentuado impediu o desmatamento o que proporciona uma visual mais interessante. A partir do marco da rodovia do café, no trevo para Iratí, pegamos a direita e entramos numa estradinha de terra, bastante bem conservada, que leva a várias pousadas, ranchos, fazendas e outros comércios que estão surgindo na onda do turismo rural, a fazenda Cainã é uma das mais antigas da região a explorar essa atividade e tem uma excelente estrutura, também tem uma posição previlegiada no relevo o que permite observar toda a região "abaixo" da serra, também ali já se faz presente o terreno, vegetação e aqueles riozinhos de águas límpidas de fundo de pedra típicos dos Campos Gerais, paro por aqui minha descrição antes que comece a falar muita besteira hahaha
Por incrível que pareça a volta, apesar de descer a serra, é mais pesada de subidas, infelizmente ainda não pude verificar isso in-loco mas é o que me disseram.
No geral é um passeio muito bacana, na minha opinião é uma ótima opção de final de semana, com certeza voltaremos mais vezes, espero na próxima curtir um pouco da margem esquerda da rodovia, na região do Tamanduá e Rio das Almas (ou seria mortes?), pena que são só dois dias de final de semana prá 5 trabalhados uhuhauauhau

Abração

Marco Antonio